domingo, 26 de agosto de 2012

À queima roupa



Nesse momento olho-a fixamente. Alheia a tudo  ela não se dá conta, não me vê,  não enxerga. É como se uma nuvem de fumaça existisse nessa ousada troca de rápidos olhares. Contraio os lábios num quase sorriso, e sutilmente escondo a imensa necessidade de perguntar-lhe: — Como vai?  De falar-lhe  A lua está tão linda. 

Seu olhar perplexo me confunde. Desisto. Amanhã, talvez. Um outro olhar mais demorado, uma piscadinha, uma cumplicidade ou até, quem sabe, um sorriso mais largo, frouxo, debochado. Por que não? E eu vestida de coragem à queima roupa, pergunte-lhe:
— O porque de tanta distância. E feito criança mostre-lhe uma borboleta. 

E ela cheia de vida: — Linda, é azul. Voou. Mas é só uma possibilidade. Nem um som sai de sua boca. Silêncio absoluto. Com o olhar marejado de lágrimas olhamo-nos fixamente. Nesse momento uma infinita vontade de passar-lhe a mão pelos cabelos. Niná-la. Mas não. Então, abro lentamente a gaveta e guardo, mais uma vez, o espelho.


13 comentários:

  1. Que espetáculo Sueli!!!
    Bela criatividade privilegiada para este olhar para dentro à espera da manifestação do eu.
    É o mais profundo limiar da personalidade.
    Meus aplausos amiga.
    Abraços.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  2. Muito, muito bom.
    Quase me vi no espelho também.
    Valeu!

    ResponderExcluir
  3. Como sabe,seus comentários me deixam muito satisfeita. Feliz mesmo, Toninhobira.
    Esse miniconto escrevi há muito tempo. Gosto desse viés " questionamento do eu ".
    E você disse de maneira belíssima: "É o mais profundo limiar da personalidade.

    grata meu amigo.
    abraços,bjos

    ResponderExcluir
  4. Ô Lola que ótimo essa identificação, amei.

    bjus

    ResponderExcluir
  5. Uau! Inesperado... adorei, é lindo!

    ResponderExcluir
  6. Tuas letras me soaram
    na mesma
    o espelho que retrata
    o íntimo de quem busca
    uma palavra
    Ouve mas sequer balbucia
    alguma coisa,
    porque se sente adivinhada.

    Obrigado Toninho pela
    incrível visita
    Esses momentos de cada um
    que faz toda uma diferença
    abastece o coração quando
    sente presença...

    Lindo texto

    Bjs

    Livinha

    ResponderExcluir
  7. Lindo o que escreve!

    E uma vez mais
    O espelho foi guardado na gaveta
    E O silêncio ficou...

    Amei!

    Maria Luísa

    ResponderExcluir
  8. Livinha os textos, poemas... do Toninhobria são divinos, maravilhosos. E fico muitoooooooooo feliz com sua "confusão". No rodapé sempre há os nomes dos autores, certinho querida.

    bjão

    ResponderExcluir
  9. Eu costumo dizer que escreveria todos os dias mesmo que não trabalhasse com literatura de tanto que amo, gratíssima Maria Luísa.

    bjus.

    ResponderExcluir
  10. Pois é Sueli, eu tenho notado que algumas pessoas vem ao blog como se fosse uma pagina particular minha.Não sei como resolver esta questão.Sei que eles vem pelo link em algum comentario feito por mim e ai encontram os dois blogs, o pessoal Mineirinho e o Escritos.Paciencia né.Pois as postagens semore mostrarão o escritor dela.
    Mas voce vai redirecionando com bem o faz.
    Abraços amiga e vamos nessa sede da escrita.
    Bjo.

    ResponderExcluir
  11. Querido amigo Toninhobira é uma honra para mim "confudirem" nossos escritos, maravilha, pois sou sua fã de carteirinha. :o) Mas,por outro lado,é necessário dar os devidos créditos, certinho.
    forte abraço.

    ResponderExcluir